29 de janeiro de 2018



É com redobrada satisfação que vemos o Porto de Aveiro fazer a plantação de árvores, no terreno que margina a Vala do Oudinot, neste início de 2018.

Árvores de várias espécies, devidamente escoradas, estão plantadas ao longo do terreno, em quatro fileiras, prevendo-se que darão uma boa barreira, em relação às poeiras trazidas pelos ventos dominantes.

A Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha ficou duplamente satisfeita por esse gesto, pois além duma barreira arbórea que barra a chegada de poeiras poluentes à Gafanha, provenientes do Porto Comercial, contribui para criar uma zona de lazer entre a Via Circular ao Porto de Aveiro e a Vala do Oudinot.

É pertinente dizer que estão criadas todas as condições para sonharmos com um ambiente mais limpo na Gafanha da Nazaré, caso continuem a ser adoptados os procedimentos correctores e agora habituais no manuseamento dos produtos poluentes.

HRocha

Ex.mo Senhor Carlos Rocha
Presidente da Junta de Freguesia da Gafanha da Nazaré:

A indignação que manifestei como Presidente da ADIG, bem como todos os presentes, apoia-se numa série de factos que se foram acumulando ao longo do anterior mandato autárquico e que continuam neste.

É repetitivo o facto de faltar às reuniões com a nossa Associação e não ter a hombridade de pegar num telefone ou enviar um E-mail, antes do início da reunião, a comunicar qual o impedimento de poder estar presente. E desta vez até tinha vindo da Junta o convite para a reunião!... Éramos seus convidados. Então o senhor falta a uma reunião marcada com 3 dias de antecedência, para ir a uma “marcada sem antecedência prévia” e não acha deselegante, de má educação, de falta de respeito?...

A realidade Senhor Presidente é que tudo começou com o problema do Petcoke, em que o senhor negava os problemas tóxicos e depois se provou serem reais e que a ADIG conseguiu resolver, com a concordância e a ajuda das próprias entidades envolvidas no manuseamento do produto. Em vez de ficar contente por a Gafanha ficar com um ambiente mais limpo, o senhor ficou despeitado e, aí sim, passou a ser oposição à ADIG. Um problema da chamada “dor de cotovelo”!…

Quanto ao pendão que refere e às suas cópias, o senhor continua a confundir tudo. Primeiro não é a ADIG, mas sim o eleitor da Gafanha, Humberto Rocha, que o faz e que o publica na comunicação social com o seu nome (não deixando dúvidas quem era o autor)… mas, erra, principalmente, por que era campanha eleitoral…    E não fiz apelo a um dado candidato, mas sim escrevi: “Há mais e bons candidatos às Autárquicas!... Escolham quem julgam que vai defender a Gafanha, quem tenha espinha vertebral, que não vergue a cerviz aos poderosos ou ceda aos interesses partidários!...”  Veja-se o que ainda agora se passou, senhor Presidente, nas eleições para o seu Partido, os ataques mútuos e quando um candidato ganhou, tudo passou… tudo se desvaneceu… É assim que os líderes se comportam…

O senhor Carlos é Presidente da Junta, portanto de todos os residentes na Gafanha da Nazaré e não só daqueles que votaram em si… Quando o alertamos para quaisquer problemas na nossa Terra, devemos ser ouvidos…

E mais uma vez o Senhor erra ao afirmar que não tratará mais qualquer problema com Humberto Rocha! O que pretendemos é que trate os problemas com as Associações, seja quem for o presidente!

Continuamos a afirmar que a Gafanha só lucraria se houvesse colaboração entre a Junta de Freguesia e as associações que alertam para problemas concretos, como o fazemos por telefone ou por E-mail, sempre que deles temos conhecimento.

A ADIG não é, nem quer ser oposição, mas sim fazer parte da solução dos problemas.

Quem perde com “costas voltadas” não é a ADIG ou o Presidente da Junta, mas sim a Gafanha que é a Terra onde nascemos, habitamos e que defenderemos a todo o custo.

HRocha


ATITUDE COVARDE DO PRESIDENTE DA JUNTA DE FREGUESIA!...
E FALTA DE RESPEITO PELAS ASSOCIAÇÕES…

No dia 09-01-2018 recebemos um E-mail da Junta de Freguesia do seguinte teor:

Marcação de Reunião - Apresentação do Executivo da Freguesia da Gafanha da Nazaré - “serve o presente e-mail, para solicitar uma reunião, cujo o assunto será a apresentação do Novo Executivo da Freguesia da Gafanha da Nazaré à ADIG e Associação Náutica e Recreativa da Gafanha da Nazaré”.

Seguia uma lista das datas disponíveis. Depois de falar com os associados das duas colectividades propusemos a data de 12, às 18H00, que foi confirmada pela Junta de Freguesia.

Mais tarde, recebemos um telefonema referindo que a reunião seria na nossa Sede. Embora admirados, pois tratava-se de duas Associações, embora com o mesmo Presidente, aceitámos e optámos por reunir na Sede da Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha, o que comunicámos à Junta.

Às 18H00 desta sexta, dia 12, membros das duas Associações esperavam pelo “Novo Executivo da Freguesia da Gafanha da Nazaré”.

Qual o nosso espanto quando se apresentaram os elementos da Junta de Freguesia, mas não existia Presidente.
Só uma atitude podíamos tomar: cancelámos a reunião…

Senhor Presidente da Junta: convidar alguém para uma reunião e não aparecer, só pode ser entendido como COVARDIA, medo de enfrentar os convidados e FALTA DE RESPEITO por duas Associações das mais antigas da Gafanha da Nazaré.

O senhor continua a considerar a ADIG (e neste caso também a Associação Náutica e Recreativa) como oposição, quando o que pretendemos é fazer parte da solução dos problemas da nossa Terra. A corroborar esta nossa atitude é que sempre damos conhecimento escrito de todos os problemas que detetamos na nossa Gafanha.

Deixe de ser COVARDE e tenha a hombridade de discutir os problemas frente a frente, pelo menos quando somos seus convidados!...

HRocha

6 de janeiro de 2018



A ADIG e a ASSOC. NÁUTICA E RECREATIVA GAFANHA DA NAZARÉ

EXIGEM RESPEITO PELO MEIO AMBIENTE

No dia 5 de Janeiro, pela manhã, as águas que saíam da Conduta do antigo Esteiro do Oudinot, na Marina da Associação Náutica e Recreativa da Gafanha da Nazaré, apresentavam um aspecto opalino, com manchas maiores ou menores, que não permitiam visualizar a limpidez da Ria, como demonstram as fotos.

Demos conhecimento desta poluição à Capitania, à Administração do Porto de Aveiro, ao SEPNA (Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente da GNR), à GNR da Gafanha da Nazaré e à ARH (Administração da Região Hidrográfica) da Agência Portuguesa do Ambiente.

Todas as Entidades demonstraram interesse por descobrir a origem desta descarga e enviaram equipas à Marina para se inteirarem do sucedido.

Como é do conhecimento há 4 empresas ao longo da Conduta do antigo Esteiro do Oudinot, donde, eventualmente, a poluição deverá ser proveniente.

Para descartar outras hipóteses tivemos o cuidado de verificar a entrada poente daquela Conduta, do lado do Jardim Oudinot, bem como toda a Vala paralela a sul, que se encontravam perfeitamente limpas.

Vamos aguardar que as autoridades descubram quem atenta contra o meio ambiente, nesta zona da Gafanha e que sejam punidos os prevaricadores.

HRocha

4 de dezembro de 2017



REUNIÃO da ADIG e da ANRGN com a BRESFOR


A Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha e a Associação Náutica e Recreativa da Gafanha da Nazaré reuniram com a BRESFOR, no dia 28 de novembro.

Recebeu-nos o Director, Eng. Fernando Mendes, acompanhado pelas responsáveis do Laboratório e da Segurança. Das duas associações, marcaram presença o presidente Humberto Rocha, acompanhado por dois elementos de cada uma delas.

Apresentámos os assuntos que nos preocupam:
     - Poluição da Bacia da Marina pelas escorrências na Conduta do antigo Esteiro de Oudinot
     O problema da Legionella.

No caso da poluição, apresentámos documentos fotográficos (em que incluímos os peixes mortos provocados por descarga em 27-12-2016) e vídeo. É evidente que ao longo daquela conduta estão sediadas 4 empresas e, por tal motivo, não é possível garantir qual ou quais poluem.

Numa exposição PowerPoint apresentada pelo Engenheiro Director e depois na visita às instalações, foi-nos garantido que todo o caudal era drenado para a SIMRIA (Saneamento Integrado dos Municípios da Ria), desde 2008, com leitura do volume de m3 efetuada por caudalímetro, à saída na fábrica.

Quanto à Legionella, preocupados com as recentes notícias sobre a infecção no Hospital São Francisco Xavier, colocámos perguntas sobre o vapor de água que se eleva, diariamente, das torres de refrigeração. Esta bactéria provoca infecção pulmonar, por inalação de gotículas contaminadas, de que pode resultar a morte.

Ficámos esclarecidos e muito mais tranquilos, face ao Plano de Emergência Interno (PEI) e às práticas da Bresfor, dando cumprimento à Diretiva Europeia, que obriga a um controlo automático e contínuo e ao registo, em cada turno, dos valores de cloro, para desinfeção do vapor das torres de arrefecimento e a análises periódicas da Legionella, no Instituto Dr. Ricardo Jorge. Completa este tratamento um filtro de gotículas que as retém, evitando a sua dispersão.

As preocupações ambientais nesta fábrica são muito diferentes, para melhor, das que encontrei na Foresa que visitei, “de motu próprio”, em 1973, em Caldas de Reyes- Espanha, para aquilatar dos malefícios que poderiam advir da instalação da Bresfor, na Gafanha.

Todos os elementos das Associações presentes na Reunião ficaram sensibilizados com a abertura e esclarecimentos prestados pelo Diretor da Bresfor e esperam desta Empresa o empenho na contínua melhoria da qualidade do ar e das águas da nossa Ria.

HRocha

29 de outubro de 2017




ROMAGEM A NOSSA SENHORA DE VAGOS –Fados de Coimbra

Para ver o filme ir a. https://youtu.be/WdSMPbas07k

A ADIG cumpriu a Romagem anual a Nossa Senhora de Vagos, prestando homenagem aos nossos antepassados.

Muitos se deslocaram de bicicleta até à Capelinha. Outros optaram por outros meios de transporte e a Capela foi pequena para acolher todos os romeiros da Gafanha que lá se deslocaram.

E os cânticos do Coral da Universidade Sénior da Gafanha foram um bálsamo para os ouvidos atentos de toda esta assistência.

De seguida atuou o grupo de fados de Coimbra “Portas de Água”, em que as guitarras e as violas acompanharam a voz maviosa do Prof. Rogério.

Editámos só "um cheirinho" deste extraordinário espectáculo, para adoçar o apetite para a próxima...

Para o ano há mais e lá os esperamos!...

Humberto Rocha





CONVITE A TODOS OS GAFANHENSES:

A ADIG ORGANIZA A ROMAGEM CICLISTA ANUAL À SENHORA DE VAGOS, NO DIA 5 DE OUTUBRO.

PARTIDA, DE BICICLETA, DO CENTRO CULTURAL GAFANHA- 10H00
INÍCIO DA CERIMÓNIA NA CAPELA DA SENHORA DE VAGOS - 11h30

ATUAÇÃO DO GRUPO DE FADOS DE COIMBRA “PORTAS DE ÁGUA”, COM FADOS E GUITARRADAS E O CORAL DA UNIVERSIDADE SENIOR DA GAFANHA DA NAZARÉ.

VAI DE BICICLETA OU MESMO DE CARRO (E, NESSE CASO, LEVA TEUS PAIS E AVÓS)… NÃO FALTES À ROMAGEM.

PODES LEVAR FARNEL E ALMOÇAR NO RECINTO DA CAPELA.


É A HOMENAGEM DAS GENTES DA GAFANHA A VAGOS, A HOMENAGEM AOS NOSSOS ANTEPASSADOS, O REGRESSO ÀS ORIGENS.

Humberto Rocha

19 de setembro de 2017


GAFANHÕES:

ESTÁ NA HORA DE DIZER BASTA A QUEM, DURANTE 4 ANOS, NÃO DEFENDEU A GAFANHA DA NAZARÉ!...

O PRESIDENTE DA JUNTA E O PRESIDENTE DA CÂMARA, PESE EMBORA SEREM FILHOS DA NOSSA TERRA, NUNCA A DEFENDERAM!... SEMPRE ESTIVERAM AO LADO DOS INIMIGOS DA GAFANHA…

BASTA LEMBRAR O CASO DO PETCOKE, O CASO DOS LIMITES DE FREGUESIA, O CASO DA NÃO ATUALIZAÇÃO DOS CADERNOS ELEITORAIS, O CASO DA REJEIÇÃO DA BANDEIRA E DO NOME DA GAFANHA, NAS FESTIVIDADES E ESPETÁCULOS.

ESTES SENHORES FORAM UNS AUTÊNTICOS VENDILHÕES DO TEMPLO QUE É A NOSSA GAFANHA DA NAZARÉ.

QUEM AMA A GAFANHA NÃO PODE COMPACTUAR COM QUEM NÃO A DEFENDE, COM QUEM NEGOCEIA EM PROVEITO DO SEU INTERESSE PARTIDÁRIO.

ESTÁ NA HORA DE DIZER BASTA E DAR A POSSIBILIDADE A OUTROS, QUE GOSTAM DA NOSSA TERRA, QUE PUGNAM POR ELA.

TEMOS ELEIÇÕES EM 1 DE OUTUBRO E NÓS TEMOS DE DEMONSTRAR O NOSSO DESCONTENTAMENTO.

BRIO GAFANHÕES, BRIO FILHOS DA GAFANHA, SEJA POR NASCIMENTO OU QUE A ADOTARAM PARA MORAR.

HÁ MAIS E BONS CANDIDATOS ÀS AUTÁRQUICAS!... ESCOLHAM QUEM JULGAM QUE VAI DEFENDER A GAFANHA, QUEM TENHA “ESPINHA VERTEBRAL”, QUE NÃO VERGUE A CERVIZ AOS PODEROSOS OU CEDA AOS INTERESSES PARTIDÁRIOS!...

É PRECISO “CORRER” COM QUEM TEM VENDIDO A GAFANHA…
BRIO GAFANHÕES, VAMOS CORRER COM OS VENDILHÕES… COM OS ATUAIS PRESIDENTES DA JUNTA E DA CÂMARA, DIA 1 DE OUTUBRO…


Humberto Rocha

10 de setembro de 2017


O ADMINISTRADOR DA EPA REUNIU COM A ADIG E A ANRGN






O ADMINISTRADOR DA EPA REUNIU COM A ADIG E A ANRGN

O Presidente e outros elementos da Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha -ADIG e da Associação Náutica e Recreativa da Gafanha da Nazaré -ANRGN, reuniram com o Administrador da Empresa de Pesca de Aveiro -EPA, Sr. José Taveira da Mota, no dia 28 de Julho de 2017.

Foram expostos os seguintes assuntos:

1.     Descarga de efluentes para a Ria
2.     Cheiro intenso na Marina
3.     Fuligem nos barcos e toldos
4.     Silo de restos de peixe – gaivotas e mau cheiro

Após a nossa exposição, solicitámos a melhor compreensão e um esforço no sentido de minorar os problemas que afligem a Marina e a Gafanha da Nazaré. 

Do Senhor José Taveira da Mota recebemos o compromisso de melhorar, dentro do possível, os parâmetros das descargas aéreas e dos efluentes para a Ria.

Anexámos fotos que demonstram a quantidade de fuligem que cai sobre os barcos e seus toldos, possivelmente devido a problemas dos queimadores e à pouca altura das chaminés. Foi-nos referido pelo Sr. José Taveira que tem havido problemas com as bombas de combustível, já tendo, recentemente, sido adquiridas várias.

Quanto aos esgotos para a Marina, informou que já foi tamponado o tubo de descarga, pelo que esse problema vai desaparecer. Solicitámos o maior empenho para que continue tapado permanentemente. Fomos informados que a EPA tem uma Estação de Tratamento, mas que tem havido problemas nas marés vivas, pela invasão de água salgada e consequente destruição dos microrganismos que degradam a matéria orgânica.

Quanto ao silo de restos de peixe, formulámos a opinião de que seria ótimo que estivesse aberto apenas o tempo estritamente necessário para a descarga para camions, diminuindo os odores e não atraindo tantas gaivotas. Sabemos quão difícil é acabar, totalmente, com cheiros numa fábrica de conservas, já em funcionamento há vários anos e com 300 trabalhadoras, mas pensamos que, com algum esforço, será possível reduzir esses maus odores.

Foi opinião dos elementos da ADIG e da ANRGN que este primeiro contacto foi frutífero, sendo o começo dum caminho que, esperamos, pode levar à melhoria das condições ambientais na Marina e, consequentemente, na Gafanha da Nazaré.


Humberto Rocha